Plus de 100 millions d’utilisateurs uniques dans l’écosystème cryptographique; Étude sur les actifs numériques de l’Université de Cambridge

Le 3 ème étude mondiale CryptoAsset comparative, une initiative de chercheurs de Cambridge pour analyser la croissance le développement de l’industrie, a estimé que plus de 100 millions de personnes dans le monde détiennent actuellement Bitcoin Up ou actifs alternatifs crypto. Selon cette publication , le nombre de nouveaux portefeuilles numériques a considérablement augmenté, avec environ 191 millions de comptes ouverts uniquement au troisième trimestre de 2020.

Selon ces statistiques, le nombre de nouvelles personnes possédant des actifs cryptographiques a grimpé en flèche par rapport aux estimations de 2018, qui atteignent à peine 36 millions. La recherche attribue cette croissance à une augmentation de l’activité et de la prise de conscience des principales fonctions de l’écosystème cryptographique. Parmi les autres paramètres mis en évidence, citons l’exploitation minière, la fourniture de services hors chaîne, la conformité réglementaire et l’amélioration de l’infrastructure informatique.

Une perspective dynamique

Malgré un coup dur après le boom des ICO en 2017, l’intégration de la cryptographie a été à son plus haut niveau après la bulle. De plus en plus de fournisseurs de services hors chaîne se sont lancés pour les débutants sur la rampe grâce aux écosystèmes fiat-crypto et vice versa. Notamment, les données démographiques sur l’utilisation variaient considérablement d’une région à l’autre; par exemple, les échanges cryptographiques domiciliés hors APAC sont apparus comme des plates-formes de négociation plus axées sur la cryptographie. Lit le rapport:

«Alors que les entreprises nord-américaines et européennes servent principalement des fonds spéculatifs d’actifs cryptographiques et des investisseurs institutionnels traditionnels…

une part notable des prestataires de services APAC traite avec les mineurs (41%), en partie expliquée par le niveau élevé des activités minières dans la région, notamment en Chine. »

Réglementation et conformité

Quant au périmètre réglementaire, il reste encore beaucoup à faire selon les chiffres révélés par la recherche. Plus de 2 entreprises interrogées sur 5 ont obtenu une licence ou sont en train de le faire. Ceci malgré l‘ entrée en vigueur de la règle de voyage du GAFI l’année dernière, exigeant que tous les fournisseurs de services d’actifs virtuels (VASP) se conforment aux nouvelles normes KYC / AML.

Cependant, la recherche fait également valoir que la conformité générale a augmenté, et certains de ceux qui ne sont pas autorisés le sont parce que leurs activités ne relèvent pas des cadres réglementaires actuels ou des lignes directrices établies.

„Cependant, les 58% restants ne doivent pas être perçus comme la part d’entités menant des activités non réglementées ou échappant à la réglementation: certains prestataires de services interrogés sont engagés dans des activités qui ne justifient pas encore de processus d’autorisation.“

Sécurité informatique

L‘ escroquerie étant répandue dans l’écosystème cryptographique, la recherche note qu’au moins 90% des VASP conservent les actifs confiés dans une chambre froide. Néanmoins, il existe toujours un risque de baisse attribué à l’assurance, car cette gamme de services n’a pas encore pénétré le marché de la cryptographie. Si cela n’avait pas été le cas, «ceux qui ont des régimes d’assurance sont principalement assurés contre la cybercriminalité, les erreurs professionnelles, les dangers et la perte ou le vol de clés privées.

Enquanto Warren Buffett abandona o dólar, Max Keiser acredita que Bitcoin pode quebrar um novo recorde em breve

O preço do bitcoin começou a nova semana de negociação mais alto e atualmente paira em torno de US$ 1,9k, 0,48% acima. Após a recente queda abaixo de US$ 11.400 e a subseqüente rápida recuperação após as notícias do novo plano da FED para aumentar a inflação, fica claro que os touros estão determinados a empurrar os preços para cima.

Basta perguntar ao apresentador do Keiser Report – um programa financeiro transmitido na RT -, Max Keiser, que também é um conhecido Immediate Edge permabull. Keiser argumentou recentemente que a saída de Warren Buffett do dólar americano é uma indicação de que o bitcoin está à beira de bater um novo recorde.

A mudança de Buffett para o Japão significa que o bitcoin está prestes a bater um novo recorde: Max Keiser

A Reuters informou na segunda-feira que o investidor bilionário Warren Buffett havia adquirido uma participação de 5% nas cinco maiores empresas comerciais do Japão. Combinado, o investimento totalizou US$ 6 bilhões e é indicativo da diversificação de Buffett fora dos Estados Unidos.

O respeitado consultor e empresário da indústria, Max Keiser, está interpretando este movimento para significar que a Oracle de Omaha está „saindo GRANDE de USD“. Ele então postulou que o dólar americano está atualmente em uma correção para baixo e está na verdade à beira de quebrar o suporte chave.

Como o dólar americano perde valor, Keiser espera que o bitcoin poste uma nova alta no futuro imediato.

O novo investimento de Warren Buffett no Japão vem depois da notícia de que ele havia despejado ações de bancos e, em vez disso, assumiu uma posição em uma empresa canadense de mineração de ouro, a Barrick Gold.

Sua mudança para o Japão também vem à luz da mudança de política do Federal Reserve que permitirá que a inflação seja mais quente do que o normal em uma tentativa de impulsionar a economia. Os analistas pensam que a nova postura do Fed terá conseqüências terríveis para o dólar americano.

A previsão de Keiser é credível?

O Max Keiser é conhecido por fazer previsões ultra-altas sobre o preço do bitcoin. Depois que Buffett comprou ouro, Keiser previu que este movimento empurraria o BTC para $50.000. Durante esse tempo, Jason William da Morgan Creek havia sugerido que Buffett compraria o bitcoin em seguida após sua compra de ouro.

Não obstante, Buffett tem sido um opositor de bitcoin. Ele sustentou que não investirá em bitcoin ou qualquer outra moeda criptográfica tão cedo, mesmo após seu almoço com o CEO da Tron, Justin Sun, no início do ano.

Então, será que um touro cheio está a caminho da esquina? Quem sabe? A análise técnica sugere que 12 mil dólares é uma barreira teimosa que está impedindo que o bitcoin dispare. A previsão de Keiser, no entanto, é baseada em investidores voltando-se para SOVs como bitcoin, ouro e prata em meio a um dólar em enfraquecimento.

Na situação atual, é difícil dizer se a teoria de Keiser é algo a ser seguido. Mas não se surpreenda se o bitcoin realmente estilhaça novos máximos a curto prazo.

Bitcoin e criptovaluta incredibilmente popolare in Turchia rispetto ai paesi circostanti

Chainalysis ha pubblicato un rapporto in cui mappano il mondo della crittovaluta. Letteralmente. Nel rapporto confrontano le diverse regioni per scoprire quanto sia popolare la crittovaluta. La Turchia è un caso eclatante, nessun altro paese del Medio Oriente usa tanto cripto quanto la Turchia.

La Turchia si colloca al 29° posto su 154 Paesi dell’indice globale di cripto-adozione di Chainalysis e al primo posto in Medio Oriente. Lo si legge nel rapporto Geografia della criptovaluta 2020 (PDF) pubblicato questa settimana.

Il Paese è stato a lungo in prima linea nell’accettazione della crittovaluta, e l’incertezza economica in Turchia gioca un ruolo nella sua crescente popolarità, conclude Chainalysis. Il rapporto afferma: „La lira turca è stata estremamente volatile negli ultimi anni, il che ha spinto alcune persone a spostare parte dei loro risparmi verso la crittovaluta“.

Molta attività dalla Turchia

Attualmente non ci sono regole per la crittovaluta in Turchia, ma il Capital Markets Board (CMB) del paese sta sviluppando un quadro normativo. Il rapporto mostra che la maggior parte delle transazioni in Medio Oriente sulle principali borse Binance, Huobi e Bitfinex provengono da utenti turchi.

Questo potrebbe non essere una sorpresa, ma la coppia di trading lira/BTC non viene più utilizzata in nessun altro luogo che nella borsa valori turca BTCTurk. Chainalysis si aspetta che la maggior parte degli utenti compri bitcoin su BTCTurk e poi lo invii ad altre piattaforme più grandi come Binance. Qui c’è più liquidità e più volume di scambi rispetto alle borse locali.

Il rapporto ha anche mostrato che l’accettazione delle piattaforme mobili fintech e di pagamento già esistenti in Turchia è più alta che altrove nella regione e che un quadro normativo in arrivo porterebbe probabilmente a una maggiore accettazione della moneta cripta.

Economia debole e lira
Anche prima che Covid-19 colpisse duramente l’economia turca, il Paese era in difficoltà. L’economia è scivolata in recessione alla fine del 2018. I debiti con l’estero e la disoccupazione sono stati elevati per molto tempo.

Anche la lira è molto debole. Quest’anno ha raggiunto i minimi storici, con un calo del 20%, diventando la terza valuta più debole del mondo entro il 2020, secondo Reuters. Di seguito il tasso di cambio della lira turca espresso in euro.

ATMs Bitcoin aumentam em todo o mundo em 87% em 2020 –

O número total de ATMs Bitcoin aumentou 87%, e o número total já ultrapassou 10.000 em todo o mundo.

ATMs Bitcoin aumentam 87% em 2020 – um relatório de Saumil Kohli.
O número total de ATMs Bitcoin Machine instalados aumentou 87%, e o número total já ultrapassou 10.000 em todo o mundo.
De acordo com a empresa norueguesa de serviços financeiros AksjeBloggen, o número de ATMs Bitcoin aumentou 87% em 2020, em relação aos 5336 registrados em setembro de 2019. Só em 2020, quase 3.900 novos ATMs bitcoin foram adicionados. O recurso de monitoramento CoinATMRadar mostra que existem atualmente 10.014 ATMs em 71 países, permitindo aos usuários comprar e vender bitcoins e altcoins criptomoedas líderes em dinheiro. “2020 testemunhou um aumento no número de caixas eletrônicos que suportam moedas digitais”, afirmou o relatório.

Os Estados Unidos lideram o mercado com mais de 7.800 caixas eletrônicos bitcoin.

3.885 novos ATMs bitcoin foram instalados em todo o mundo entre janeiro e setembro, um aumento de 67% em nove meses. Atualmente, os Estados Unidos lideram o mercado mundial por uma margem significativa, com mais de 7.800 caixas eletrônicos bitcoin. O Canadá vem em segundo lugar com 869 máquinas.

Dependendo da máquina, os portadores de criptografia podem comprar e retirar as principais criptomoedas, incluindo Bitcoin Cash, Ether, Dash, Litecoin, Zcash, Monero, Dogecoin, Tether e XRP. No entanto, a adoção não está crescendo em todos os lugares. Os dados da CoinATMRadar mostram que a Áustria foi um dos poucos países a experimentar um crescimento negativo nas instalações desde o ano passado. O país europeu tem atualmente 149 BTMs, ante 244 em setembro de 2019.

A adoção da criptografia aumenta em todo o mundo em meio à pandemia em andamento.
A adoção da criptomoeda aumentou significativamente este ano em meio à pandemia em curso. Conforme relatado anteriormente, de acordo com uma nova pesquisa da empresa analítica de blockchain Chainalyisis, a Ucrânia supera a Rússia, a China e mais em métricas de adoção. O índice analisa três métricas na rede, incluindo o valor total das transações criptográficas na rede ponderadas pelo poder de compra per capita (PPP), o valor das transferências de varejo na rede ponderadas por PPP e o número de criptografia na rede depósitos ponderados pelo número de utilizadores da Internet. O volume de negociações feitas em trocas de criptografia ponto a ponto também aumentou significativamente este ano. Os países africanos registraram um alto volume de negociação nas trocas de criptografia P2P.

Blockchain Education in Latin America

Today another day of the Cripto Latin Fest took place, where it was demonstrated that Latin America has a brilliant future in the world of blockchain and cryptomonies. In this article we bring you a little bit of the most relevant regarding blockchain education in the region and some interesting projects.

Cryptoactives: An efficient way to make cross-border payments

The future of block chains as a panel framework
During this conference participated mainly Phillipe Boland, a Frenchman who works in Colombia in formal education from Blockchain. Alberto Guerrero Montilla, a Venezuelan with extensive experience in the Blockchain space in Latin America, also participated.

Magdiela Rivas, Paxful’s director for Latin America, and Carlos Sánchez, director of ICT for the government of Tolima, also participated in this conference.

How has education about Blockchain been addressed in Latin America?

The most experienced in this question are Boland and his wife. They are currently in Bogota, Colombia precisely teaching through different media information about the blockchain technology. They even mentioned some important alliances with universities in Peru and Colombia.

They mentioned that since 2013 and 2014 the interest in this Blockchain industry has been increasing in the Corona Millionaire region. In that sense, they highlighted that there are several non-academic formations, but they chose to promote the academic formation itself.

„I did some research in Colombia to find out how it was being addressed, if they were already doing degree work, courses or electives. I did that at the end of 2017, when it was only addressed at the conference level,“ said Boland’s wife.

They also pointed out that at first the first university careers to address these issues were in the economic sciences, such as accounting and economics. Specifically, at that time, the topic of cryptomoney regulations was mostly addressed.

Then, the second ones to do so were those at the level of intelligent contracts, with guest speakers. And finally, the third level of interest and research appeared when the system engineering faculties started working on the infrastructure part as such.

On this occasion, the couple highlighted that they were working on virtual chats with Peruvian universities and promoting blockcha-related electives in them. One of those they mentioned was the University of San Marcos.

Likewise, they highlighted that they are working on the development of a blockchain academic certification to measure what is the minimum that a professional should have in this sector.

Crypto-Currencies: How to make money in the final stretch of the year?

Academics get involved, but do students get involved too?
In the experience of the panelists, everything seems to indicate that interest in blockchain throughout Latin America is growing and varied.

„A new course was opened with students already graduated, most of them were engineers, we also had a lawyer in the technology sector,“ said Boland. He went on to point out that in these classes the students research different existing protocols, and the interest is evident. All this has reached such a point that they are working towards developing master’s degrees related to this.